Noblat: Reforma da Previdência subiu no telhado

Ricardo Noblat

Não foi por falta de aviso.

Na tarde da última quarta-feira dia 8, o deputado Fábio Ramalho (PMDB-MG), primeiro vice-presidente da Câmara, atravessou os poucos metros que separam o prédio do Congresso do Palácio do Planalto para atender ao convite do presidente Michel Temer de se reunir com ele.

Os dois são amigos fraternos de longos anos. Mas Temer estava agastado com Ramalho porque ele passara a cobrar com insistência uma vaga no ministério para o PMDB mineiro que não tem nenhuma. A conversa entre os dois foi azeda. A certa altura dela, travou-se o seguinte diálogo:

– Presidente, o senhor vive cercado de puxas sacos. Eles só lhe dizem o que o senhor quer ouvir. E por isso não dizem a verdade.

– Qual é a verdade, Fabinho?

– A verdade é que a reforma da Previdência, por exemplo, não passa. De jeito nenhum. O senhor pode criar 360 ministérios, dar um para cada deputado, e nem assim a reforma passará.

– Fabinho, você quer me derrotar.

– Não quero não, presidente. Sempre fomos amigos. Mas o senhor está distante da planície.

Temer não respondeu. Ramalho emendou:

– O senhor é político. Sabe que a um político se pode pedir tudo, menos que se suicide. A um ano e pouco da próxima eleição, a reforma da previdência não passa porque ninguém quer se arriscar a perder o mandato.

– Se a reforma não passar, o país quebra – reagiu Temer.

– Então diga isso na televisão, mas antes desista da reforma do jeito que ela está no Congresso. Essa não passará. Mande outra – insistiu Ramalho.

Por isso ou por aquilo, Temer, ontem à noite, anunciou que servidores públicos estaduais e municipais ficarão de fora da proposta de reforma da Previdência. São eles que mais pressionam os deputados contra a reforma.

Os servidores federais e os trabalhadores de empresas privadas continuarão incluídos na proposta de reforma. Os militares, policiais civis e bombeiros já haviam ficado de fora.

Temer pretendia ver a reforma aprovada na Câmara até o fim do próximo mês. E no Senado em maio. Dificilmente será assim. Para ganhar tempo e tentar vencer a resistência de sua própria base de apoio, Temer concordou com a ideia de se votar primeiro a reforma trabalhista.

Se precisar ainda de mais tempo, votará em seguida um arremedo de reforma tributária. Nada de muito ambicioso. Nada que ele próprio chame pelo nome de reforma. E só então chegará a vez da reforma da Previdência.

Os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Lula quiseram aprová-la. O primeiro não conseguiu. O segundo fez uma minirreforma. Talvez Temer seja obrigado a se contentar com uma minirreforma.

Fonte: O Globo



  • Isso é inadimisivel, querem exterminar o povo trabalhador. Aqueles que detém o poder não tem vergonha na cara e muito menos respeito pelo povo é pelos idosos que precisam de suas aposentadorias, estão cegos pelo poder e pela ganância. O Brasil está falido, sem educação, sem saúde e segurança.e. sem trabalho.Agora só faltava a punhalada fatal mexer na previdência.. Ninguém tem misericórdia e compaixão do povo, políticos malditos, cospem no prato que comem e envenenam a própria mesa.Corrupitis , miseráveis não merecem o voto do povo, deveriam ser todos exterminados.Covio de lobos, não merecem a mínima consideração.

  • Ao invés de ficarem procurando pelo em ovo na previdência, deveriam se preocupar com a prioridade dá segurança, saúde, educação e trabalho para o povo . Políticos ganham esses salários milhonarios , enquanto o povo tá na merda. .No entanto . esses políticos incompetentes não merecem o dinheiro que ganham. Por que deixaram o país sem cabeça, tronco e membros. Vão te cata corja!!

  • Bem, vejamos que são os interessados em fazer a reforma da Previdência;
    um golpista que mal sabe falar, um como se fosse cão mandado, que só sabe dizer NÉ. que se aposentou novo e ganha só numa aposentadoria 50 mil reaqis
    um outro especie igual ao chefe cão mandado que recebe também um fabulosa aposentadoria

    uma tal de padilha infeliz corrupto e também cão mandado que desembarcou do governo anterior apara assumir com este tal de nè nè

    todos estes infámes aposentados cheio de grana
    porque não cria a lei onde os deputados, senadores e outros mais paguem ao INSS e o IMPOSTO DE RENDA infelizes sem vergonha descarados iunfámes e nojentos estes fedem juntamente com sua tropa de gananciosos falidos e infelizes

    TENHO MAIS DE 64 ANOS, AINDA TRABALHO E NÃO SOU APOSENTADO , MESMO TENDO TRABALHADO POR MAIS DE 30 ANOS NO POLO CHUPANDO E CHEIRANDO BENZENO QUE BAIXOU POR DIVERSAS VEZES MEUS LEUCOCITOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *